Quinta-feira, 21 de Junho de 2007
Aristóteles e o swell
É público.  Estou dependente, agarrada, viciada e os demais sinónimos que vos ocorrerem, pois neste momento estou a atravessar tal seca (literal e metafóricamente falando) que já se me escaceia o vocabulário. O meu drama resume-se a: QUERO IR SURFAAAAR! Isto do Verão "é muito giro, o calor e tal, a praia e os homens bronzeados", mas ondas 'tá quieto. E para melhorar a coisa, nem ondas, nem calor!
Ainda ontem comentava que nunca tinha pensado em vir a ter uma dependência física deste desporto... e logo de um desporto! Sempre gostei de me exercitar e apsar de não primar pelas medidas certas, parece que isso nunca foi obstáculo nas aulas de educação física, visto que os resultados não eram nada maus.  O caso tornou-se grave a partir do momento em que me deitei em cima duma prancha. Daqui a nada estou a tremer e a ter dores nos músculos. Que estou eu a fazer então? Estou confinada à leitura da Rétorica de Aristóteles e as suas provas técnicas demosntrativas de um discurso persuasivo, para posteriormente vir a ter um olhar crítico  sobre as técnicas argumentativas presentes no discurso jornalístico. Realmente é parecido.  É o mesmo tipo de sensação que se tem quando se cai do lip de uma onda e naqueles centésimos de segundo pensamos - "isto vai doer". O pior é que tenho a certeza que doía muito menos se entretanto eu já tivesse arejado as ideias, caindo de uns quantos lips, por exemplo. Eu já só pedia isso até! Mas agora a única hipótese de eu ser centrifugada e vir parar a areia, era a de me tornar emigrante na Austrália ou coisa parecida. É impressionante como, ao fazer um coisa tão física, passamos a ter disponibilidade mental para outra, que requer tanto ou mais esforço da nossa parte.
E o que mais me custa, é que ambas me dão muito prazer e nesta tarde não estou a conseguir fazer nenhuma delas.
Quem diria que uma tese pode ser tão dependente do estado do swell?! Aposto que o Aristóteles tinha mesmo escrito a prometida Comédia se apanhasse umas ondas. De certeza que ficou sem ideias depois da Poética.

Estou...: apática...
memorizado por LaraR às 17:33
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De Olinda Gil a 22 de Junho de 2007 às 12:11
Ele escreveu a Comédia... só que não nos chegou...

Que achas da idea? Tu a surfares e ao a torrar ao sol... lendo Aristóteles, ou policiais, ou a fazer palavras cruzadas...

Tu sabes que eu gosto muito de Aristóteles (e que o acho culpado disto tudo, porque educou Alexandre)
De LaraR a 22 de Junho de 2007 às 13:39
Tinha ideia que não se tinha a certeza se realmente ele a escreveu ou não. Embora ele mencione a Comédia na Poética, não há propriamente provas de que ele a chegou a escrever. Já o Uberto Eco diz que ficou queimadinha no incêndio da biblioteca lol Mas o que eu gosto mesmo é do argumento do padre: "o riso é inimigo do medo e quem não teme não precisa de crer em Deus".
E tb me dá muito gozo ler Aristóteles, mas simplesmente preciso de inspiração de vez em quando eheh Fazemos assim: eu ensino-te a surfar e tu ensinas-me a ler Aristóteles devidamente... e em grego!

Comentar post

Eu sou...
tags

todas as tags

Tempo dividido...
Pesquisa
 
Dezembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
Memórias Recentes

Podia ser tão fácil como ...

Ousar e Vencer

Some summer memories...

Na Onda da Rita

Madeira: um sonho aqui tã...

Guaranteed

Dream as if you'll lve fo...

Madeira das massas...

Boilling Point

Terceira Etapa do Circuit...

Tempos Passados

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Julho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Fevereiro 2008

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

subscrever feeds