Quarta-feira, 27 de Junho de 2007
Planet Earth

Esta é uma série com a qualidade BBC e Discovery Channel, produzida por Alastair Fothergill e narrada pelo nosso conhecidíssmo David Attenborough (aquele que o Herman interpretava escondido atrás de umas plantas de plástico...). Nos Estados Unidos a narração ficou a cabo de Sigourny Weaver.

O que tem de especial? De facto, isto não é mais um conjunto de episódios sobre animaizinhos em áreas protegidas ou zoos, exibidos aos Domingos de manhã. É um olhar definitivo sobre a diversidade do nosso planeta. Além do mais, as novas tecnologias permitem agora o que nunca havia sido possível antes: as imagens obtidas em alta definição mostram lugares inóspitos e momentos únicos quem nem o olho humano poderia percepcionar. Esta série foi nomeada para o Pioneer Audience Award para o Melhor Programa, nos prémios de BAFTA TV awards em 2007.


Cada episódio cobre  áreas distintas do planeta, onde reinam fauna e flora peculiares. São cerca de 58 minutos de rara beleza que nos fazem pensar o quanto pequeninos somos... em tamanho e em... espírito. Cada dia assassinamos um pouco mais o lugar em que vivemos e talvez sejam séries como estas que nos sensibilizem de vez a ser, pelo menos, um pouco melhores "inquilinos". Acredito que isoladamente não podemos muito, mas todos juntos talvez possamos adiar a inexorável precipitação dos acontecimentos. A verdadeira mudança está na cultura, na mentalidade da sociedade, nos seus governantes, nas suas escolhas. Nos apoios à pesquisa em energias renováveis, ao invés de se investir em turismo espacial ou, para divertimento das massas, em provas automobilísticas - dois pequenos exemplos que considero de dispêndio completamente desnecessário de energias fósseis e que constituem grandes fontes de poluição atmosférica e terrestre. Mas voltemos à serie.


São um total de 11 episódios. O primeiro dá-nos uma visão geral dos episódios e os restantes 10 centram-se em temas específicos, como já havia dito. A duração das filmagens foi pouco mais de quatro anos, em 62 países e 204 localizações diferentes. O orçamento foi de "apenas"  40 milhões de dólares. O resultado foi este:

1. "From Pole to Pole" - a jornada que melhor evidencia as mudanças climatéricas no globo e as suas consequências para as diferentes espécies.

2. "Mountains" - essencialmente feito com filmagens aéreas dá-nos a visão de áreas do globo e suas espécies raramente vistas. Por exemplo, as filmagens de minutos do "leopardo das neves" demoraram quase um ano a conseguir.

3. "Fresh Water" - procura uma visão sobre os percursos feitos pelos rios e as espécies que deles dependem directa ou indirectamente. De toda a água existente no planeta apenas 3% é doce....

4. "Caves" - a Terra vista apartir do seu interior: a fronteira final. Por exemplo, para a exploração da recém descoberta Lechuguilla Cave, na Venezuela, a equipa demorou 2 anos a obter autorização e duvida-se que as autoridades do país  venham a permitir outras.

5. "Deserts" - um terço da terra são desertos, sejam eles quentes, rondando os +50º ou frios, perto dos - 40º. Também as espécies tiveram de se adaptar a estas condições. Por exemplo, um raro camelo asiático é capaz de comer neve para manter a sua hidratação constante.

6. "Ice Worlds" - um olhar sobre o Ártico e o Antártico. O degelo cada vez mais intenso é uma ameaça para as espécies autóctones que deles dependem e um ecossistema inteiro está ameaçado. O urso polar pode ficar condenado a nadar para sempre...

7. "Great Plains" - as grandes planícies da savana, as pradarias, as estepes... lugares que albergam animais peculiares: os maiores e os menores do planeta.

8. "Jungles" - as selvas e as florestas tropicais ocupam apenas 3% do planeta, mas são a morada de metade das espécies animais. Uma mudança, por mais pequena que seja, significa o fim de todo um ecossistema. Só na Nova Guné habitam mais de 40 espécies de pássaros-paraíso, que vivem em territórios bem demarcados, em diferentes partes da ilha, evitando assim confrontos entre si.

9. "Shallow Seas" - os oceanos "rasos", apesar de constiturem apenas 8% do total do volume dos oceanos, são o território de quase toda a vida marinha.  E encontros quase mortais entre a equipa de filmagens e tubarões brancos são inevitáveis...

10. "Seasonal Forests" - as mais extensas florestas do mundo e contêm um terço da reserva total de árvores do planeta. São os seres vivos mais antigos e mais altos de toda a Terra.

11. "Ocean Deep" - o último episódio dedica-se à zona mais inexplorada do planeta. Os oceanos profundos são a morada de alguns dos maiores animais existentes, tal como a baleia azul. Dos 300,000 espécimes de outrora, restam apenas 3%.

Espero ansiosamente que esta série chegue a Portugal. Pelos menos em DVD, já que é difícil, com a quantidade de novelas que as TV's passam, arranjarem tempo de antena para este serviço público. Pelas minhas pesquisas o livro já se econtra disponível em Portugal por pouco mais de 30 euros. Para quem não pode esperar, sempre pode ver algumas imagens dos trailers:  

http://www.amazon.com/gp/mpd/permalink/2379:2376 ou


Estou...: ecologista
memorizado por LaraR às 23:50
link do post | comentar | favorito
|
Eu sou...
tags

todas as tags

Tempo dividido...
Pesquisa
 
Dezembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
Memórias Recentes

Podia ser tão fácil como ...

Ousar e Vencer

Some summer memories...

Na Onda da Rita

Madeira: um sonho aqui tã...

Guaranteed

Dream as if you'll lve fo...

Madeira das massas...

Boilling Point

Terceira Etapa do Circuit...

Tempos Passados

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Julho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Fevereiro 2008

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

subscrever feeds