Segunda-feira, 2 de Julho de 2007
Uma agradável surpresa
Na passada quinta-feira fui a um dos melhores concerto da minha vida. É incrível esta afirmação vindo de alguém que aprecia ritmos mais calmos, como reagge ou música clássica. Sim, Mettalica no Super Bock Super Rock foi um dos melhores concerto da minha vida.
Esta banda de californianos tem uma presença em palco como poucas que já vi. Bem me avisaram e não me enganaram! Sabe envolver um público, puxar por ele e, acima de tudo, agradecer-lhe. O reagge, por exemplo, é dos ritmos que maior envolvência pode trazer num concerto. Podemos não conhecer o intérprete, nem perceber nada da letra, mas deixamo-nos ir naquela lenguidão, naquela alegria e público ondula em conjunto, torna-se uma família. Dizer que se passou isto num concerto de heavy metal pode parecer estranho, mas assim foi que se passou. E mesmo eu, conhecendo poucos temas do grupo, fiz parte daquela família. E até mesmo as minhas pernas, que roçavam a distensão muscular, se esqueceram da burrice da véspera de surfar sem pré-aquecer e pularam como se não houvesse amanhã.
Estes monstros do heavy metal não precisam de provar mais nada, do alto do seu sucesso. Este podia ser mais um concerto, no meio da tounée. Mais um público, que apesar de numeroso, não chega às multidões  de um Rock in Rio, por exemplo. No entanto, estes senhores de aspecto duvidoso. para alguns, parecem ser as pessoas mais conscientes do seu público e dos seus fans, em particular. Vou usar o adjectivo  mais improvável para definir os Metallica: são uns fofos. E são mesmo. Tal como comentaram comigo, estes rapazes pareciam que não se queriam vir embora do palco. Numa performance musical imaculada, após 2h de concerto sempre a abrir, onde puxavam pelo público em momentos de diálogo meio cúmplice e em apontamentos fabulosos de pirotecnia, os Mettalica regressaram ao palco com uma bandeira portuguesa, agradecendo a todos nós, pela milionésima vez e tocando ainda mais. Distribuiram ainda uns souvenirs, que não consegui perceber o que eram - pelo tamanho talvez uns pins - e ficaram, e ficaram, e ficaram para fotos e abraços.
Não há nada pior que uma banda mostrar desprezo ou indiferença pelo seu público. No mínimo peço respeito. Um obrigada, pelo menos. Há muitos grupos que vêm tocar e não dirigem uma única palavra ao público. Somos fans mas não temos sangue de barata. Chegam, tocam e vão embora. Ter a humildade de reconhecer que estão ali e são o que são por nossa causa, é o que distingue os grande grupos, dos extraordinários.

E os Metallica foram mais que extraordinários naquela noite.

Peço desculpa pela qualidade, mas aqui fica um momento para recordar. And nothing else matters:


Estou...: roqueira
memorizado por LaraR às 17:37
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De Anónimo a 5 de Julho de 2007 às 14:02
Eu bem te avisei!...
LOLOL
Beijinhos mana:)

Comentar post

Eu sou...
tags

todas as tags

Tempo dividido...
Pesquisa
 
Dezembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
Memórias Recentes

Podia ser tão fácil como ...

Ousar e Vencer

Some summer memories...

Na Onda da Rita

Madeira: um sonho aqui tã...

Guaranteed

Dream as if you'll lve fo...

Madeira das massas...

Boilling Point

Terceira Etapa do Circuit...

Tempos Passados

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Julho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Fevereiro 2008

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

subscrever feeds