Domingo, 25 de Maio de 2008
Afinal há mais vida para além do Cristiano Ronaldo...

É sempre agradável quando os grandes atletas - aqueles outros esquisitos que não correm com a bola nos pés - vão sendo reconhecidos pelos nossos jornais.

É nestes casos que já é notícia só por si, isto ser notícia. Parabéns Pinheirinho!


Hugo Pinheiro já soma dois títulos europeus e é vice-campeão do mundo
A deslizar nas ondas de quase todo o mundo

 

Aos 28 anos, o bodyboarder português Hugo Pinheiro é já um atleta profissional há quatro anos e tem percorrido boa parte do mundo a disputar as várias etapas dos circuitos europeu e mundial, tendo no seu currículo os títulos de bicampeão do European Tour of Bodyboard em 2003 e 2004, bicampeão europeu por selecções em 2005 e 2007 e vice-campeão do mundo ISA em 2006, além de campeão nacional e 14.º colocado no ranking mundial.

Patrocinado pela Red Bull desde 2004, Pinheiro tem podido dedicar-se quase exclusivamente à modalidade, treinando constantemente na Costa de Caparica, onde vive, e também em Peniche, uma das melhores praias para a prática do bodyboard.

"Comecei a fazer bodyboard aos dez ou 11 anos na Costa de Caparica quando ainda tínhamos apenas pranchas de esferovite", relembra o jovem atleta português, dizendo que a evolução tecnológica mudou radicalmente o equipamento, que hoje é cada vez mais sofisticado e variado.

"Hoje há pelo menos dez tamanhos diferentes de pranchas e dois ou três tipos de shapes, todas elas construídas com propileno no interior e totalmente impermeáveis", explica, sublinhando também que as manobras evoluíram e se diversificaram.

Dos primeiros passos do body-board, quando as manobras incluíam apenas a rotação 3600, o off lip (deslizar na crista da onda) , o tubo e o cut back (realizar uma curva a partir do cimo da onda), actualmente os atletas se esmeram em manobras absolutamente radicais como o ARS - air roll spinner - um rolo aéreo com uma rotação de 3600 no fim, ou o aerial reverse - uma manobra aérea invertida, com um salto no ar e uma rotação 3600 invertida.

"Estas são algumas das manobras radicais praticadas em todos os campenatos, mas ainda há junções de manobras, duplas rotações, invertidos aéreos ...", diz o atleta, explicando que além de ser necessária uma onda grande para realizar estas peripécias é também preciso muita preparação física, especialmente para o trabalho de pernas, braços e lombares.

Uma nova vertente também surgiu recentemente em Portugal pelas mãos de Hugo Pinheiro e trata-se do bodyboard tow-out, que implica a utilização de uma mota de água para rebocar o atleta e a prancha de bodyboard.

"Experimentei esta nova vertente na Austrália durante o campeonato mundial de 2005-2006 e achei muito entusiasmante. Por isso, resolvi fazer uma sessão em Peniche para criar um grupo de atletas interessados em praticar em Portugal", contou ainda Pinheiro.

As manobras são basicamente as mesmas do bodyboard, mas a velocidade é incomparavelmente maior, cerca de 50 km/h. "Ao sermos rebocados por uma mota de água somos projectados nas ondas a vários metros de altura o que é sempre espectacular", comentou, entusiasmado, o atleta português.

Esta é uma prática que requer um perfeito relacionamento entre o piloto da mota de água e o bodyboarder, é um trabalho de equipa fundamental para que as manobras alcancem o máximo de espectacularidade.

Pinheiro entretanto já começou a disputar as etapas do circuito europeu, com provas em Vila do Bispo, que não correram muito bem devido às más ondas e à marcação cerrada de dois rivais da Póvoa de Varzim.

Haverá ainda mais duas etapas em Marrocos e Espanha, e também a disputa das etapas do circuito nacional e, paralelamente, estará presente nas restantes sete etapas do Mundial, a começar em Julho na Austrália e passando pelo Brasil, no Rio de Janeiro e em São Paulo, Chile, Espanha e ilhas Canárias e em Portugal em Agosto.

 

in DN 23/05/08

Estou...: orgulhosa
memorizado por LaraR às 23:49
link do post | comentar | favorito
|
3 comentários:
De Anónimo a 29 de Maio de 2008 às 17:23
fazia-lhes jeito uma revisora
De LaraR a 29 de Maio de 2008 às 18:39
Sim, sem dúvida! Também notei isso, mas optei por fazer a transcrição tal e qual. Não se decidiam se afinal é "bodyboard" ou "body-board"... . Mas quando se vive num país que ao invés de manter a continuidade da sua própria língua, prefere adaptá-la aos falantes dos PALOP e o nosso próprio Presidente Cavaco Silva diz - "Não fiz, não faço nem façarei!"- , estas coisas são grãos de areia numa praia... .
De pranchas bodyboard a 20 de Maio de 2010 às 14:15
Bem o Hugo nué de novo lol alta cena :)

Comentar post

Eu sou...
tags

todas as tags

Tempo dividido...
Pesquisa
 
Dezembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
Memórias Recentes

Podia ser tão fácil como ...

Ousar e Vencer

Some summer memories...

Na Onda da Rita

Madeira: um sonho aqui tã...

Guaranteed

Dream as if you'll lve fo...

Madeira das massas...

Boilling Point

Terceira Etapa do Circuit...

Tempos Passados

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Julho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Fevereiro 2008

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

subscrever feeds